Estamos desinvestindo de "Mercados Emergentes"

Na Parkview, estamos achando cada vez mais difícil justificar uma alocação em "Mercados Emergentes" como uma classe de ativos (ME). Esta não é uma mudança tática de posição, mas uma mudança de visão estrutural. Existem desenvolvimentos positivos e negativos que nos levam a essa mudança de posicionamento. Nos próximos trimestres, planejamos sair de fundos de mercados emergentes e focar apenas em alguns países e regiões onde os investimentos permanecem fortes.

A maioria dos consultores está em conflito - Como identificar um verdadeiro Agente Fiduciário

A árvore em queda e o valor de um consultor independente

Recentemente, tive uma árvore caindo derrubando o poder de todo o bairro. Fiquei intrigado, como ocorreu no meio de um dia ensolarado e sem vento, mas ainda mais porque recebi um arborista de uma empresa conhecida que checava todas as nossas árvores apenas alguns meses antes. Como esse acidente foi possível? Eu me virei para outro especialista em árvores, recomendado por um amigo.

Somente os Negócios da Família são importantes. Quase.

Empresários criam riqueza - sucessão fracassada a destrói

Dois terços das famílias mais ricas do mundo são autodidatas¹, uma proporção que continuou a crescer na última década às custas de riqueza herdada. Essa tendência parece ser em grande parte impulsionada pela criação acelerada de riqueza nos mercados emergentes, mas também por uma nova geração de empreendedores que assumem riscos em setores de rápido crescimento, como a tecnologia.

Paul Hoenck

Antes de ingressar na Parkview, Paul ocupou cargos como consultor de gestão no setor de serviços financeiros da África do Sul e depois como analista de investimentos em uma empresa de gestão de patrimônio. Depois de se mudar para o Reino Unido, ele se juntou à Principal Global Investors, onde fazia parte da equipe global de estratégia de macro-moeda da empresa.

Paul é formado em Bcom (Hons) em Análise Financeira e Gerenciamento de Portfólio pela University of Cape Town e é um membro da Charter da CFA.

Nina Schneider Gugerli

Nina iniciou sua carreira em 2002 na Freshfields Bruckhaus Deringer em Frankfurt/Main e London como Consultora de Desenvolvimento de Negócios. Mais tarde, ela se juntou à Adveq, com sede em Zurique, um dos principais gestores de Private Equity, onde era responsável por negócios e desenvolvimento de mercado. Antes de ingressar na Parkview, Nina estava gerenciando o Divisional Product Committee do Credit Suisse´s Asset Management, bem como desenvolvendo produtos estruturando veículos alimentadores de Private Equity para os clientes Privados do Banco.

Ajuste turbulento para um crescimento mais lento

No início de Dezembro, argumentamos que, apesar do aumento nos lucros e da movimentação dos preços das ações, a atratividade do mercado de ações era um tanto ambígua. Enquanto os ganhos com o rendimento das ações aumentou durante a maior parte de 2018, o mesmo aconteceu com o retorno em caixa, deixando a diferença entre os dois praticamente inalterada.